terça-feira, 10 de março de 2009

O projecto "Escola Aberta" (I)

Nos anos 80, na Madeira, teve início o desenvolvimento do projecto Escola Aberta. Este foi um projecto de intervenção comunitária e de Animação Socioeducativa desenvolvido por Animadores voluntários - professores e educadores - pioneiros no desenvolvimento de práticas de Animação no campo socioeducativo com grupos sociais desfavorecidos. "O projecto Escola Aberta nasceu do contacto com as crianças de rua. Do andar na rua e falar com os miúdos".

Escola Aberta, porque, era uma escola livre, onde os seus protagonistas, as crianças, podiam estar à vontade, aquele era o espaço deles, dos "meninos da caixinha" que desciam para a Cidade do Funchal no intuito de angariar algum dinheiro. Este fora um projecto que privilegiava a criatividade e as práticas de educação não formal sustentadas em processos participativos. Era um tempo e um espaço de ludicidade e de diálogo caracterizados por cenários de aprendizagem informal; um projecto de alfabetização inovador ao nível da prática pedagógica.

Estou certo que a Escola Aberta foi um marco importantíssimo para a escrita da história da Animação Sociocultural e para a sua génese em outros projectos de relevante interesse sociocultural e educativo na Região Autónoma da Madeira. A história do projecto de Animação Socioeducativa Escola Aberta começa a ser desenhada em 1987, uma fase caracterizada pelos contactos que viriam a efectivar o projecto no terreno em 1989. A fase de enquadramento institucional veio a acontecer em 1991-92.

2 comentários:

Carlos Costa disse...

Bom dia Albino,

Agora fiquei curioso... qual a origem dessas crianças? A que famílias pertenciam? Era feito algum tipo de trabalho com os seus familiares?

Carlos Costa

Albino Viveiros disse...

Olá Carlos!

As crianças de rua eram oriundas de famílias com fracos recursos económicos. Elas "sobreviviam", graças, às esmolas que recebiam de quem passava pelas ruas da cidade (do Funchal). Estes meninos e meninas foram o ponto de partida para o desenvolvimento de um trabalho de intervenção sociocomunitário e educativo não formal. Numa primeira fase foram elas o público-alvo, e só depois, essa intervenção foi extensível às respectivas famílias.

Um projecto que merece uma maior divulgação. Sem dúvida, um projecto de Animação Socioeducativa.


Um abraço,

Albino Viveiros