terça-feira, 10 de novembro de 2009

As práticas de Animação Sociocultural

O Prof. Avelino Bento no post Que Animação Sociocultural? Sei que não vou por aí, coloca em foco a necessidade de se discutir as práticas de Animação Sociocultural e respectivas funções do Animador, com enfoque, naquelas protagonizadas pelos muitos Animadores no exercício decorrente da actividade profissional, grupo de agentes onde revejo-me como Animador. Uma reflexão urgente, creio eu, que precisa de ser estimulada e compreendida à luz das diferentes realidades sociopolíticas, geográficas, culturais e sociais.

Reconheço que as nossas preocupações têm passado pelo debate de outros temas que preocupam os Animadores, talvez, pelo mediatismo do tema entre os Animadores, ou porque determinada matéria continua a ser alvo de múltiplas leituras e de diferentes tomadas de posição. Reflectir as práticas de Animação é o assumir das debilidades e potencialidades dos Animadores Socioculturais no seu quotidiano profissional; é colocar em evidência o trabalho protagonizado por cada um de nós. Estou em crer que as possíveis reflexões trazidas à luz do dia por muitos de nós será um contributo positivo para todos: docentes dos cursos de Animação, estudantes, investigadores e Animadores Socioculturais.

Cada um de nós tem um papel activo a desempenhar na discussão das práticas de Animação Sociocultural. Uma discussão que passará pela experiência profissional, por um conhecimento adquirido pelo "casamento" entre a teoria interiorizada decorrente dos ensinamentos do curso e a prática experienciada nos terrenos da Animação. Aceito o desafio, brevemente, vou relatar neste espaço a minha vivência como Animador Sociocultural no território insular.

3 comentários:

Anónimo disse...

Olá Albino Viveiros.
Gostaria de deixar só aqui a minha opinião em relação a este assunto. Eu resido muito próximo dacidade de Leiria e, muito sinceramente, ainda se estão a dar os primeiros passos na área da Animação Sociocultural, propriamente dita.

Existem já algumas empresas que fazem "animações"de festas de anos e eventos (o que na minha opinião não é animação sociocultural)e aos poucos vao-se introduzindo animadores no terreno e vai-se tentando avançar nesta área.

Apesar de eu também achar que depende de cada um de nós mudar isto e trabalhar para que as coisas mudem, muito sinceramente acho que nos falta (a nós animadores em conjunto)passar à accção. Fazer algo, a nível nacional (e que chegue a todo o lado)que mostre o que é a animação e a importancia do animador. Talvez algo que crie o impacto necessário para ajudar a abrir+ as portas da nossa sociedade e domercado de trabalho.

Albino Viveiros disse...

Olá!

Partilho da sua opinião. A consciência para a mudança é trabalho dos Animadores, junto das comunidades, mas também é um trabalho em favor deles próprios; fruto da leitura das realidades concretas e experenciadas no quotidiano.

Há a necessidade dos Animadores ganharem uma consciência colectiva de grupo, de definirem metas concretas e lutar por objectivos que proporcionem o bem comum.

Cada um de nós tem a responsabilidade de assumir um papel mais activo, mais interveniente e não se conformar com a realidade presente, ou deixar-se intimidar por discursos mais pessimistas.

Albino Viveiros

Carlos Costa disse...

Olá Albino,

Introduzi um post no meu blog sobre o assunto.

http://flamadevida.blogspot.com/

Um abraço.

Carlos Costa